/Encad em Macaé aborda os desafios do Administrador no século XXI e gestão da saúde

Encad em Macaé aborda os desafios do Administrador no século XXI e gestão da saúde

2018-10-03T11:58:18+00:00

O 13ª Encontro de Administradores da Região Norte/Noroeste Fluminense reuniu profissionais e estudantes da Administração, na Faculdade Miguel Ângelo da Silva Santos (Femass), em Macaé, na última segunda-feira (24), para trabalhar os desafios do profissional da Administração na gestão de serviços em saúde, em pleno século XXI.

Na ocasião, foram apresentadas duas palestras: “Tendências Organizacionais na atuação da Administração na Saúde”, com as Administradoras Maria de Fátima Ribeiro dos Santos, coordenadora da Comissão Especial de Administração em Serviços de Saúde do CRA-RJ; e Rita de Cássia Garcia, membro da Comissão; e “Os desafios do Administrador no Século XXI”, ministrada pelo Adm. Wagner Siqueira, presidente do CFA e conselheiro federal pelo Rio de Janeiro.

Além dos palestrantes, estiveram presentes ao evento os Administradores Leocir Dal Pai, presidente do CRA-RJ; Manoel D’Oliveira, representante a Casa do Administrador em Macaé; e Carlos Maurício Azevedo Fróes, representante da Femass no Encontro.

Fátima Ribeiro apresentou a Cass, falou de seus objetivos e relevância para a categoria. Ela destacou, entre outras questões, que é preciso ter capacitação para trabalhar na área de saúde, principalmente em decisões delicadas, e para lidar bem com as tecnologias, que nem sempre são as ideias para determinados momento.

“Enquanto houver política na saúde, não haverá política de saúde, mas as escolhas dos gestores das unidades são muito por indicação política versus a capacidade de gestão. Às vezes, tira-se um excelente médico que está na beira de leito para ser ruim de direção. Não vou dizer que o diretor de um hospital deva ser um profissional da Administração. Ele precisa ser um médico para pode discutir com outros médicos, mas nunca sozinho”, disse.

Já Rita Garcia abordou a sustentabilidade na saúde, chamando a atenção para os pilares econômico, social e ambiental, que muitas vezes são ignorados por profissionais despreparados. Ela também ressaltou a necessidade de se conhecer muito bem as leis que regem o país para que cada decisão seja legal.

“Nós temos de gerenciar cumprindo a legislação brasileira, a Constituição. Elas falam sobre o direito da inviolabilidade da vida, a um meio ambiente equilibrado. Então, precisamos conhecer e entender de leis que regem a saúde em nosso país e no restante do mundo”, disse.

Siqueira, em sua apresentação abordou as questões psicológicas que envolvem as organizações, bem como os avanços tecnológicos e o tempo que se perde com a má gestão.

“A gente pode ter uma série de coisas para administrar, mais pessoas, recursos, materiais diversos, mas a gente só não pode ter mais tempo. Ele é disponível para pessoas competentes e incompetentes, mas é algo inelástico e de reposição impossível, portanto a forma como vamos utilizá-lo é que vai fazer a diferença para nós, como gestores”, disse.

Chamando a atenção para a campanha ‘Setembro Amarelo’, ele ainda alertou que o desvio de função dentro dos hospitais pode colocar um bom profissional da saúde em colapso mental, quando este tenta assumir atividades privativas do Administrador, pois não exercerá nenhuma das duas coisas de forma satisfatória.

O próximo Encontro de Administradores, promovido pelo CRA-RJ, será no dia 1º de outubro, em Nova Friburgo, às 18h, no Auditório Da Oi, na Av. Alberto Braune, 224.

Haverá as apresentações das palestras “O Futuro da profissão: Ameaças e Oportunidades”, com o Adm. Carlos Roberto Fernandes de Araujo, coordenador da Comissão especial de Finanças do CRA-RJ, e “Os desafios do Administrador no Século XXI”, com o Adm. Wagner Siqueira.