/Registro profissional em concurso da Aeronáutica movimenta ainda mais a sede

Registro profissional em concurso da Aeronáutica movimenta ainda mais a sede

2018-04-27T09:37:13+00:00

A exigência que a Força Aérea Brasileira fez em seu aviso de convocação para incorporação de profissionais de nível médio técnico gerou grande movimentação na sede do CRA-RJ nos últimos dias de inscrição no concurso. No edital, a Aeronáutica esclarece que os candidatos às vagas de profissões regulamentadas, como é o caso da Administração, devem ser registrados nos respectivos Conselhos profissionais. Foram realizados cerca de 400 novos registros, somente nesta última semana.

Thaila Rocha, de 23 anos, diz que ter feito o curso de técnico de Administração, em 2015, a ajudou para a seleção.

“Ter feito o curso técnico [em Administração] foi importante, porque sem ele, não poderia nem concorrer neste concurso para nível médio. A exigência do registro é boa, pois de certa forma já acaba eliminando muita gente que ainda não o fez”, disse.

Para a chefe do setor de Registro Profissional, Ana Maria Martins, os profissionais que participam de concursos precisam estar sempre atentos aos requisitos dos editais de seleção, principalmente no que diz respeito ao registro profissional. É preciso entender que a Administração é uma profissão regulamentada, desde 1965, e que há o registro de técnico de Nível Médio, tecnólogos, bacharéis, mestres e doutores, nas áreas ligadas a Administração.

Ela também chamou a atenção para a importância da realização do pré-cadastro no site do Sistema.

“Se o candidato fizer todo o pré-cadastro no site, efetuar o pagamento da anuidade e comparecer ao CRA-RJ com a documentação original e o comprovante de quitação do valor referente a anuidade, o atendimento é bem rápido, cerca de 5 minutos”, explicou.

Desde o ano passado, a partir da gestão do Adm. Wagner Siqueira, presidente do CFA e conselheiro federal pelo Rio de Janeiro, o Sistema CFA/CRAs registra profissionais técnicos em Administração de nível Médio, mestres e doutores em áreas da Administração, por meio das Resoluções Normativas 511 e 512.